geraobrasil

Dica


Se você quer conhecer os dados originais sobre geração no Brasil entre diretamente no Banco de Informa��es da Gera��o, organizado e mantido pela ANEEL.

Legenda


De acordo com a Aneel, existem 7 tipos de usinas hidrelétricas no país:

CGH
Central Geradora Hidrelétrica <1MW
EOL
Central Geradora Eólica
PCH
Pequena Central Hidrelétrica 1MW a 30MW
SOL
Central Fotovoltáica
UHE
Usina Hidrelétrica > 30MW
UTE
Usina Termelétrica
UTN
Usina Termonuclear

Cogeração


A cogeração é a geração termelétrica com aproveitamento do calor residual em processos industriais.

Desta maneira, a eficiência total do uso do combustível passa da faixa de 40% para até 80%.

Atualmente existem 58 usinas de cogera��o em opera��o no Brasil totalizando 1582 MW e apenas 6 em construção com 111 MW.

Exercício


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Capítulos

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Histórico


Tudo começou em 1879, com a inauguração da iluminação elétrica na estação Dom Pedro II (Central do Brasil) no Rio de Janeiro.

Em 1881, foi inaugurada a primeira iluminação pública num trecho do jardim do Campo da Aclamação, a atual Praça da República em São Paulo.

Em 1883 começou a funcionar no Brasil a primeira usina de geração no país; uma unidade termelétrica de 52KW movida a lenha na cidade de Campos no estado do Rio de Janeiro.

Foi o início do serviço público de iluminação na América do Sul.

Neste mesmo ano entrou em operação a primeira usina hidrelétrica em Diamantina, MG.

Em 1904, investidores canadenses e americanos criam a Rio de Janeiro Tramway, Light and Power Company com a intenção de explorar praticamente todos os serviços urbanos: transportes, iluminação pública, produção e distribuição de eletricidade, distribuição de gás canalizado e telefonia. Portanto, a primeira empresa de energia elétrica nasceu privada.

Consumo de Eletricidade no Brasil


A Figura abaixo apresenta a evolução do PIB e do consumo de energia elétrica no Brasil.

Observa-se que o consumo de energia elétrica e o PIB são crescentes e correlacionados.

O efeito nefasto do racionamento de energia em 2001 no PIB é bastante claro e o consumo de energia elétrica demorou 2,5 anos para retornar ao nível anterior ao racionamento.

Apesar do forte crescimento econômico, o consumo de energia ainda não atingiu o nível que teria alcançado caso o racionamento não tivesse ocorrrido.

Portanto, o investimento em energia elétrica no Brasil é fundamental tanto para o desenvolvimento econômico como para o desenvolvimento social.

 

Matriz Energética


A figura abaixo apresenta a matriz atual da geração de energia elétrica no Brasil.

Observa-se o predomínio da geração hidrelétrica, seguido pela geração térmica a gás natural, quando o critério é potência.

Quando o critério é número de usinas, as termelétricas dominam, com a geração térmica a diesel ebagaço de cana.

Tendo em vista que o Brasil é o maior produtor mundial de açúcar, o bagaço de cana é importante combustível de biomassa no Brasil.

Por isso, ele aparece em terceiro lugar na matriz energética e está da ordem de grandeza da geração a gás natural.

Porém, deve-se ter cuidado com esta fonte de energia porque a coleita da cana ocorre apenas em alguns meses do ano e as condições do mercado mundial de açucar e álcool podem afetar a disponibilidade do bagaço.

Em quarto lugar, considerando a potência instalada, estão as térmicas a óleo combustível.

Apesar de serem consideradas, juntamente com as térmicas a diesel, o "patinho feio"da geração de energia elétrica, elas são responsáveis pela segurança do sitema elétrico.

Neste exato momento, elas estão operando a plena carga e deverão salvar o nordeste do racionamento em 2012.

É interessante observar que a geração a carvão e a geração nuclear representam parcelas desprezíveis na matriz brasileira atual.

 

 

Sistema de Transmissão


Além das usinas, o Brasil possui as interligações com os países vizinhos conforme mostra a figura abaixo. Estas interligações podem ser consideradas como geração mas, devido às recentes dificuldades com nossos vizinhos, algumas delas não são confiáveis e não estão operando.

A interligação com o Paraguai corresponde à parcela de Itaipu e a interligação com a Argentina não está mais sendo considerada pelo ONS por causa da crise de gás nesse país.

Fonte:ONS

Por sua vez, a interligação com a Venezuela atende apenas parte do sistema isolado e a com o Uruguai serve mais para exportação do que para importação.

Como o sistema elétrico brasileiro é predominantemente hidrelétrico, as usinas estão localizadas em locais cada vez mais distantes dos centros de carga.

Consequentemente, conforme mostra a próxima figura, o sistema de transmissão é gigantesco e cobre uma área equivalente à área dos EUA ou da Europa.

 

Usinas em Operação


De acordo com a Aneel, existem atualmente 2996 empreendimentos de gera��o de energia el�trica em opera��o no pa�s, totalizando 134 GW de potência instalada, conforme mostra a figura abaixo.

As termel�tricas s�o as usinas mais numerosas no pa�s. Isto significa que existe uma crescente necessidade de mão de obra especializada para projetar, construir, operar e manter estas usinas.

No entanto, como a pot�ncia instalada das hidrel�tricas � normalmente muito maior do que a das termel�tricas, a predomin�ncia, em termos de pot�ncia, � das hidrel�tricas. Isto significa que a energia do sistema brasileiro é extremamente dependente da hidrologia.

Usinas em Construção


Conforme mostra a figura abaixo, existem cerca 152 empreendimentos em constru��o (20 GW).

As eólicas dominam atualmente o n�mero de usinas novas em constru��o e s�o seguidas pelas PCH.

Por�m, quando classificadas por pot�ncia, as hidrel�tricas continuam a dominar, seguidas das t�rmicas.

 

Usinas Outorgadas mas Paradas


A figura abaixo mostra que existem 546 usinas novas outorgadas mas sem construção iniciada, que totalizam 16.473 MW.

 

Observa-se que que as Eólicas e as PCHs s�o as mais numerosas.

Quando classificamos por pot�ncia, as térmicas dominam seguidas das eólicas.

Isto significa que todos os tipos de gera��o encontram dificuldades em passar da fase de outorga para a fase de constru��o.

Esses n�meros mostram que a expans�o da gera��o de energia el�trica no pa�s � um assunto extremamente complexo, ainda n�o solucionado e preocupante.