Fatores Positivos


Redução da demanda no horário da ponta oficial.

Economia de energia

Fatores Negativos


Horários diferentes em diversas regiões.

Adaptação ao novo horário.

Resultados 2011


De acordo com o ONS, houve uma redução de 4,5% na demanda de ponta e de 0,5% no consumo de energia.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Horário de Verão


O Horário de Verão foi regulamentado pelo Decreto 6.558 de 8/9/2008, baseado em Decreto Lei de 1942, com o objetivo de redução da demanda no horário de ponta e economia de energia.

Muita coisa mudou desde então.

Naquela época, o Brasil possuia um sistema elétrico precário, não interconectado e utilizando frequências diferentes.

Do ponto de vista de consumo, a carga residencial era basicamente iluminação e as cargas comerciais não operavam 24 horas por dia.

A explicação para o horário de verão é a aumento da duração da luz solar durante este período do ano. Porém, este efeito não existe no equador e mais acentuado nos polos; isto é, depende da latitude.

Como o Brasil é um país continental e seu território encontra-se perto do equador, apenas na região sul e um pouco da região sudeste são afetadas por este fenômeno.

Por isso, Horário de Verão é adotado apenas nessas duas regiões. Isto cria problemas com as empresas áreas, empresas com filais em diversas regiões e bancos.

Os dados apresentados pelo ONS são extremamente polarizados e, na verdade, comprovam que o Horário de Verão é desnecessário.

De acordo com a legislação, o horário de verão vai de meados de outubro até meados de fevereiro, que é exatamente o período úmido nas regiões sul e sudeste.

Isto significa que, normalmente, não existe problema de falta de energia neste período. Ao contrário, sobra energia porque diversos reservatórios vertem água neste períod